Carregando

segunda-feira, 4 maio 2020

Quarentena: Dicas para salões de beleza enfrentarem a crise

Por

Um dos setores mais afetados pelo isolamento social, salões de beleza devem se reinventar para passar pelo período.

Ainda no meio da quarentena e sem previsão de quando as coisas voltarão ao normal, algumas empresas estão aproveitando o momento para dar um empurrãozinho na inovação e também na gestão. Um desses negócios são os salões de beleza, uma das áreas mais sensíveis à crise provocada pela pandemia.

Em um segmento que possui mais de um milhão de profissionais formalizados no país, segundo o Sebrae, os impactos podem ser muito grandes. Então, para ajudar o seu negócio do ramo de beleza a passar pela quarentena e sair mais forte, a Gedisa reuniu algumas dicas para que seja um período de empreender novas ideias e novas atitudes!

1- Organize os dados dos clientes

Esse tempo pode ser usado para atualizar e organizar os dados dos seus clientes. Há quanto tempo você queria fazer isso e não conseguia, não é mesmo?

Essa organização vai te ajudar a conhecer melhor o perfil dos seus clientes. Vale estabelecer as principais características de biotipo, quais serviços procuram e quais marcas preferem. Essa é uma maneira de organizar seu negócio exatamente para o que seu público busca.

2- Mantenha o contato com os clientes aquecido

Depois de seguir a primeira dica, é hora manter a comunicação com seu cliente frequente! Por isso, não esqueça de manter os canais de contato sempre atualizados, publicando informações que sejam do interesse do cliente e até criar discussões sobre temas de bem estar e saúde.

Para isso, você pode usar o Whatsapp, TikTok, Instagram, Facebook e Telegram. Todas essas redes sociais são gratuitas e muito simples de serem usadas, além de atender diferentes tipos de público. Na dúvida, procure algum consultor ou professional de marketing digital para te ajudar.

3- Venda online de serviços e produtos

Após abrir esses canais, por que não fazer vendas online? Para isso você pode apostar em vouchers de vendas antecipadas, em que os clientes pagam agora o serviço que irá fazer depois com algum benefício: desconto, brinde ou promoção. Você ainda pode “vender” conhecimento, como cursos de “faça você mesmo” para clientes, ou de aperfeiçoamento e técnicas para profissionais da área. Outra opção é vender kits com produtos home care. Tudo isso gera vínculo com o cliente, para que você se mantenha ativo na memória dele!

4- Revise os gastos

Sem o funcionamento do ponto físico a todo vapor, é hora de rever os gastos como telefonia, internet, assinatura de TV e manutenção de equipamentos e energia elétrica. Se for dispensável agora, é hora de suspender assinaturas mensais de serviços. Por isso, é aconselhável que você leia o contrato e veja quais as multas ou restrições. De qualquer forma, muitas empresas estão negociando e dando condições favoráveis para ajudar os empresários.

No caso de energia elétrica, por exemplo, muita gente não sabe que há formas de consumo mais econômicas para pequenas e médias empresas. Existe hoje uma modalidade de consumo chamada Geração Distribuída, em que cooperativas podem gerar sua própria energia com preço melhor. Nesse caso, a melhor forma de aderir é buscar uma administradora de cooperativas para te ajudar, como a Gedisa. Essa é uma prática regulamentada pela Aneel desde 2012, e possibilita energia elétrica com custo mais baixo, chegando a até 15% de desconto na fatura de luz.

5- Faça a organização do estoque, negocie faturas e revise compras

Se estava faltando tempo para organizar o estoque, a hora é essa. Organize os produtos pelo prazo de validade e identifique os que devem ser usados primeiro. Faça um levantamento e reveja o planejamento de compras, e, se possível, negocie faturas que estão próximas a vencer. Diversos fornecedores estão com condições diferenciadas neste momento.

6- Negocie o aluguel

Se o seu ponto é alugado, a dica é negociar prazos de pagamento e mesmo o valor da mensalidade. Por isso, renegocie com o proprietário. Caso seu estabelecimento seja dentro de um shopping ou centro comercial, procure a Associação Brasileira de Salões de Beleza, que tem questões judiciais junto à ABRASCE (Associação Brasileira de Shoppings e Centros Comerciais).

Se você tentou de tudo e a negociação não deu certo, veja se é possível abrir mão do ponto ou obtenção de crédito.

Caso você tenha que abrir mão do ponto, não desanime. Avise os clientes que o negócio reabrirá em breve em outro local que será informado e comece a sondar outros locais. Agora pode até ser um bom momento para conseguir melhores negociação em pontos ainda melhores!

7- Dê um up no salão!

Caso o ponto fixo permaneça, esse pode ser o momento de repaginar o local. Não é necessário fazer grandes reformas, mas uma bela faxina ou mesmo mudar a disposição do mobiliário já faz uma grande diferença! Há como fazer pequenas pinturas sozinho ou trazer itens de decoração, como plantas, por exemplo. Essas pequenas ações irão revigorar o seu negócio e o preparar para a reabertura.

Gostou das dicas da Gedisa? Confira mais conteúdos:

Feito com por Black Flag Publicidade